Home » Actualidades » Isolamento da Ilha Brava: Deputado “malha” nos sucessivos governos de Cabo Verde

Isolamento da Ilha Brava: Deputado “malha” nos sucessivos governos de Cabo Verde

O Deputado do PAICV para a Ilha Brava, Clóvis Silva, acusou esta quinta-feira, 14, os sucessivos executivos do arquipélago, de serem os culpados pelo isolamento da Ilha de “Nhô Tatai”.

“Não há um único governo desde o início deste Cabo Verde independente, que possa dizer que teve uma solução definitiva em relação à ilha Brava, que é hoje, ao fim de 42 anos de independência, a ilha mais mal servida de Cabo Verde em matéria de transporte e a ilha mais dependente de todas as outras de Cabo Verde”, denuncia Clóvis Silva, Deputado do PAICV para Brava (Oposição no Parlamento), destacando que a questão dos transportes é uma das mais importantes de entre as várias que têm sido postas aos sucessivos executivos para uma solução, mas, com a Brava, e para os interesses da Brava, “o digo com todas as letras…que o problema persiste até aos dias de hoje”.

De acordo com o eleito “tambarina”, Brava regista um crescimento demográfico negativo, com cada vez menos crescimento económico e com menos ambição deste arquipélago.

“É a ilha que teve menos presença dos seus governantes e seus políticos, na história deste País, a única Ilha que persiste com este nível elevado de isolamento”, listou, ainda, para notar que é uma Ilha que obriga aos seus “cidadãos que querem crescer na vida a abandonem a cada dia, quer queira quer não, para que possam vencer na vida”.

Na avaliação de Clóvis Silva, há dois meses que a deficiência nos transportes gerou falta até de oxigénio na Delegacia de Saúde local e rotura no fornecimento de vários medicamentos, o que, alias, já se repetiu em outras épocas e se tornou quase corriqueiro, que cada um recorra à Ilha do fogo ou da Praia para os adquirir.

Silva reconhece, entretanto, que “esforços têm sido feitos”, mas que não há memória de sua estabilização ou normalização.

“Mesmo em períodos em que um navio permanecia na Brava, o transporte da Ilha e para a Ilha nunca foi regular e nem foi frequente”, remarca, notando que o sector privado jamais investirá numa ilha que não tem mercado, que não tenha população, e que os transportes não terão passageiros num território que não tenha pessoas para transportar.

“Nunca se deveria ter tirado o subsídio de isolamento a Brava, pois, nunca a Brava se livrou do isolamento. Que o digam as pessoas da Brava e as famílias da Brava”, conclui, amargurado, o Deputado Clóvis Silva.

A última ligação feita pela agência “Cabo Verde Fast Ferry” à Brava, data de 9 de Setembro.

Entretanto, na sequência do anúncio de “uma grande manifestação” pelas principais artérias da Cidade de Nova Sintra (a Capital da “Ilha das Flores”), marcada para esta sexta-feira, 15, por mor do descaso nas ligações marítimas, “Fast Ferry” enviou um comunicado às redacções, na manhã desta quinta-feira, 14, dando conta de que retoma ligações de e para a Brava, no próximo sábado, 16.

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Notícias Relacionadas

Classificados