Home » Actualidades » Editorial: Dez anos de caminho andado

Editorial: Dez anos de caminho andado

O Jornal A NAÇÃO celebra, nesta Edição, o décimo ano da sua criação e da sua trajectória jornalística, factos que contribuíram para a recomposição do espectro e do campo mediático cabo-verdiano.

O Jornal A NAÇÃO celebra, nesta Edição, o décimo ano da sua criação e da sua trajectória jornalística, factos que contribuíram para a recomposição do espectro e do campo mediático cabo-verdiano.

O Jornal, ao longo destes dez anos – o primeiro número chegou às bancas naquele 6 de Setembro de 2007! -, manteve-se fiel ao seu Manifesto Editorial, marcado pelo rigor da notícia e pela liberdade da imprensa, não se enfeudando por capelas políticas e por outros jogos de interesse, diferencial hoje reconhecido e apreciado pelos nossos estimados e amigos leitores.

Corolário de uma visão maior, em torno do Grupo ALFA, o A NAÇÃO afirmou-se, desde o início, como uma iniciativa que veio para ficar, tratando a informação como bem de interesse público e a opinião responsável como uma mais-valia para a circulação de ideias na Nação cabo-verdiana, sempre percepcionada pelas ilhas atlânticas e pelas comunidades cabo-verdianas irradiadas pelo mundo.

Se a visão maior define, claramente, esta ambição pela abrangência nacional e pela circulação ampla, hoje, tanto do jornal em papel, como do em versão online, a qualidade que se lhe reconhece num contexto felizmente plural e competitivo tem, também, a ver com o empenho do seu colectivo de jornalistas e de repórteres, técnicos gráficos e designers, comerciais e administrativos, bem como de colaboradores permanentes e esporádicos, que, no dia-a-dia, dão o melhor de si para que o A NAÇÃO, a cada semana, se dê à estampa e se ponha a caminho para o círculo de distribuição e de leitura.

Dez anos passados por sobre o nascimento do A NAÇÃO, não se pode recusar a uma retrospectiva, nem se deve perder de vista que o caminho andado, com os seus altos e baixos, transformou-se num grande activo para o colectivo e para a continuidade do Jornal.

Por isso, a celebração, para além da legítima satisfação de todos, é motivo de reflexão e de debate sobre as próximas etapas e, sobretudo, como servir melhor os leitores na actual conjuntura da vida nacional. Não será despicienda a inovação e a modernização dos fazeres vários que constituem o quotidiano do Jornal no ideário de servir, mais adequadamente, toda a comunidade, hoje muita e vária, que é esta família, uma década depois.

Dez anos dobrados, a ocasião é propícia para agradecermos, a todos, pela gesta colectiva, e cada um, pelo contributo indefectível na construção do sermos o que somos e, mais do que isso, no olharmos para os próximos dez anos, como caminho possível e realizável, em contexto de aperfeiçoamento progressivo, em prol de Cabo Verde e dos cabo-verdianos, já que não nos abrimos mão ao epíteto de sermos “assunto de interesse público”.

Agradecermos e convidarmos todos e cada um, aqui e agora, a olharmos para 2017 com o plano de viagem assegurado para 2027.

E porque acreditamos que “querer é poder”, que o nosso limite é maior que o céu, que o sonho derruba todas as barreiras, conclamamo-vos – aqui e agora! – nesta hora de brinde – mesmo que seja virtual! -, para mais uma largada vitoriosa e de encaixes mil.

Navegar é preciso!

A Direcção

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Notícias Relacionadas

Classificados