Home » Actualidades » Barrado na fronteira. Passageiro estrangeiro consegue escapulir do aeroporto da Praia

Barrado na fronteira. Passageiro estrangeiro consegue escapulir do aeroporto da Praia

Alegou que precisava telefonar aos familiares, aproveitou a distração dos agentes da PN e desapareceu.

Um indivíduo cuja entrada no território nacional foi barrada, na fronteira do aeroporto da Praia, conseguiu escapar à segurança policial e desapareceu simplesmente do recinto sem que se desse por ele. Até agora continua a monte.

O caso, soube A NAÇÃO, aconteceu no início do passado mês de Julho e vinha sendo guardado a sete chaves pelos serviços de fronteira da Polícia Nacional. Tudo isto porque, pela sua gravidade, segundo uma fonte policial, “cabeças” poderão ter que rolar.

As nossas fontes dão conta que o indivíduo, que aparenta ser natural da Costa Africana, queria entrar no território nacional com documentação falsificada. Este, prosseguem nossos informantes, foi detido logo depois do desembarcado e deveria ser, posteriormente, entregue à justiça. Mas, antes disso, sem sair do aeroporto, conseguiu sumir do mapa até a data de hoje.

Contam nossos interlocutores que o referido passageiro alegou que precisava telefonar aos familiares e uma vez autorizado, aproveitou a distração dos agentes da PN e, desapareceu sem que ninguém se apercebesse disso na altura.

A NAÇÃO tentou obter mais dados sobre este insólito, mas a responsável da PN na Fronteira do aeroporto da Praia, Zelinda Vasconcelos, disse que não poderia falar sobre assunto sem ter primeiro ordens superiores. Tentamos, igualmente, falar com a Direcção Nacional da PN, mas não obtivemos qualquer resposta até ao fecho desta edição.

Por seu turno, um especialista em segurança ouvido por A NAÇÃO advoga que é “urgente” a mudança de procedimentos nos serviços de fronteira do aeroporto da Praia. “Nunca se deve permitir que uma pessoa detida deixe a sala de espera para fazer o que quer que seja. Muitas vezes, na falta de trocos, deixam um passageiro estrangeiro ir trocar dinheiro no Câmbio, mesmo sem antes obter o visto de entrada. Tudo isto mostra que os procedimentos de segurança no aeroporto da Praia precisam de ser melhorados para o bem tanto dos funcionários, como dos passageiros”, conclui a mesma fonte sob anonimato.

*Texto publicado na edição 518 do Jornal impresso A Nação.

 

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Classificados