Home » Actualidades » Baía das Gatas volta a atrair milhares em São Vicente

Baía das Gatas volta a atrair milhares em São Vicente

Prata da casa, a par da actuação do músico italiano, Alborosie, são alguns dos condimentos de uma comitiva repleta de estreantes e repetentes no evento.

A partir desta sexta-feira (11) até domingo, as temperaturas voltam a subir na ilha de São Vicente, com a 33ª edição do Festival da Baía das Gatas. Neste ano, o certame musical, orçado em cerca de 15 mil contos, homenageia a juventude mindelense. Prata da casa, a par da actuação do músico italiano, Alborosie, são alguns dos condimentos de uma comitiva repleta de estreantes e repetentes no evento.

Por estes dias todos os caminhos dão a ilha do Monte Cara, prova disso é a enorme afluência de emigrantes e gentes de outras paragens do país. A semana iniciou-se com o “Carnaval de verão”, na terça-feira passada. O ponto alto acontece já neste fim–de-semana com a 33ª edição do Festival Baía das Gatas.

Durante os dias 11, 12 e 13 vários artistas nacionais e internacionais passam pelo palco do maior festival do país. O cartaz só foi divulgado há cerca de três semanas, contrariando a tendência dos últimos anos. Nele constam nomes como o do músico italiano, Alborosie. Este, no sábado, actua pela primeira vez na ilha e é um dos mais aguardados, sobretudo pelo público mais afecto ao estilo reggae.

E porque a semana faz-se também de Carnaval, a Câmara Municipal brinda os mindelenses uma vez mais com os ritmos do sambista brasileiro Dudu Nobre, a par de Constantino Cardoso e Anísio Rodrigues. Dudu Nobre, recorde-se, já havia actuado na ilha durante o Carnaval em Fevereiro deste ano. Pela primeira vez sobe ao placo do Baía das Gatas 2017, numa actuação que acontece no sábado.

O arranque do Festival Baía das Gatas 2017, acontece na sexta-feira por volta das 21 horas. A fadista portuguesa, Mariza, tem a responsabilidade de dar o pontapé inicial. Seguem-se as actuações de Maria Alice, Ana Firmino, Titina, Calu Moreira, Dudu Araújo, João Eugénio e Armando Tito. A noite prolonga-se com as performances de Badoxa e Joelma (antiga vocalista da banda Calipso). Badoxa é um dos estreantes no festival, enquanto que, por outro lado, Joelma já actuou nesse palco em 2013, juntamente com a banda Calipso. A solo vai ser a primeira vez desta brasileira.

No sábado, 12, a animação arranca com alguns DJ’s locais, que são seguidos pelo angolano Anselmo Ralph. Este também actua pela segunda vez, depois de estreia em 2014. Anselmo Ralph deveria ter actuado em Maio nas ilhas do Sal, São Vicente e Santiago, mas as empresas envolvidas no concerto optaram por adiá-lo. A actuação do “repetente” Djodje, antecede a de Alborosie, que encerra o segundo dia do certame musical.

Homenagem à juventude

 A maioria das actuações de domingo dão corpo a homenagem que o certame pretende para a juventude mindelense. O primeiro espaço musical refere-se a “História do Hip Hop de São Vicente”, que é um estilo musical maioritariamente dominado por jovens. Khaly Angel, Josimar Gonçalves, Odailine Tavares, Sílvia Medina e Dino de Santiago, Élida Almeida, Ferro Gaita, compõem o encontro de vozes que dão seguimento a noite.

De São Tomé e Príncipe chegam os Calema, actualmente uma das duplas mais ouvidas pelos cabo-verdianos. Este ano já actuaram em alguns palcos nacionais, mas em São Vicente é a primeira vez. O brasileiro Naldo Benny, autor do hit, “Vódca ou água de coco”, encerra a 33ª edição do Festival Baía das Gatas.

JF

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Classificados