Home » Actualidades » São Vicente: PAICV insatisfeito com mandato de Augusto Neves na Câmara Municipal

São Vicente: PAICV insatisfeito com mandato de Augusto Neves na Câmara Municipal

Alcides Graça apontou uma série de medidas avulsas e segundo ele, "sem nexo", adoptadas pela autarquia, que sustentam a insatisfação dos tambarinas em São Vicente.

O presidente da Comissão Política Regional (CPR) do PAICV em São Vicente, Alcides Graça, afirmou que o balanço do mandato da actual equipa camarária da ilha, liderada por Augusto Neves, é pouco satisfatório. Segundo esse responsável o futuro não se perspectiva animador na ilha, pese embora as potencialidades para alavancar a sua economia.

Faltam poucos meses para a actual equipa camarária cumprir um ano de mandato a frente da edilidade. Estando o país na recta final de mais um ano político, o PAICV entendeu ser altura chave para uma avaliação do desempenho da equipa comandada por Augusto Neves na Câmara Municipal de São Vicente.

Alcides Graça apontou uma série de medidas avulsas e segundo ele, “sem nexo”, adoptadas pela autarquia, que sustentam a insatisfação dos tambarinas em São Vicente.

“É a primeira vez na história do municipalismo em Cabo Verde que um presidente da Câmara assume simultaneamente os pelouros do urbanismo e da cultura, sem que tenha uma formação específica nestas duas áreas que lhe permita acrescentar valor ao seu desempenho”, afirmou Alcides Graça.

Segundo este responsável está-se perante a pior equipa camarária de todos os tempos em São Vicente. “É uma câmara extensa, com nove vereadores, todos eles com pelouros, mas ao mesmo tempo, a menos produtiva de todos os tempos. Há inclusivamente vereadores que ninguém conhece que nao fazem rigorosamente nada, mas recebem todos os meses o seu salário bruto de mais de 100 mil escudos mensais”, argumenta.

Graça revelou que, dentro da Câmara Municipal, foi implementado um forte “clima de perseguição”, encoberta por uma falsa mobilidade administrativa. Clima esse que contrasta com o facto de alguns funcionários permanecerem a mais de quinze anos sempre nos mesmos cargos.

Entre os vários aspectos mencionados por Alcides Graça está a decisão tomada através de uma circular, na qual a Câmara Municipal só aceita atestados assinados por dois médicos para efeito de justificação de faltas. “Bizarro se atendermos que um deles até já foi julgado e condenado em tribunal por falsificação de receitas médicas”.

O presidente da CPR do PAICV, em São Vicente, acredita que a edilidade tem feito uma má gestão dos bens públicos municipais. Entre vários exemplos ele traz à ribalta novamente a permuta entre a infraestrutura da academia Carlos Alhinho e o descampado do basket.

“O pagamento de uma divida a uma empresa de construção civil com mais de 19 mil metros quadrados em Santa Filomena. O pagamento de dívidas com entrega dos estaleiros de Carnaval construídos durante a gestão da doutora Isaura Gomes”, sustenta.

A ausência de um plano de emergência municipal para as zonas criticas, quando as chuvas já estão muito próximas e a falta de investimentos na Biblioteca Municipal também compõem a longa lista, dos desideratos do município  apresentada por Alcides Graça, na manhã desta sexta-feira (4).

JF

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Classificados