Home » Actualidades » UE e Cabo Verde assinam protocolo de “Reforço das Capacidades e Resiliência do Setor Florestal”

UE e Cabo Verde assinam protocolo de “Reforço das Capacidades e Resiliência do Setor Florestal”

O principal objectivo do projecto é aumentar a resiliência e fortalecer a capacidade para enfrentar os riscos adicionais causados pelas mudanças climáticas

A União Europeia (UE) e Cabo Verde assinam hoje, na Cidade da Praia, um acordo de cinco milhões de euros, de financiamento europeu, para o projecto ” Reforço das Capacidades e Resiliência do Sector Florestal em Cabo Verde”.

De acordo com uma nota enviada à Inforpress, o projecto, que também será implementado e financiado pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) com o montante de 133 mil euros, terá duração de quatro anos e irá ser realizado nas ilhas de Boa Vista, Fogo e Santiago.

O principal objectivo do projecto segundo a mesma nota, é o de aumentar a resiliência e fortalecer a capacidade de adaptação do país em vista de enfrentar os riscos adicionais causados pelas mudanças climáticas, como a desertificação e degradação da terra em Cabo Verde.

Reduzir a desertificação e a degradação da terra através de uma abordagem participativa para promover uma gestão eficiente dos recursos naturais assim como promover a reflorestação e renaturalização de áreas florestais, são outros objectivos que se pretendem com este projecto.

Informa o documento que o projecto visa ainda apoiar programas nacionais para manter o desenvolvimento económico e reduzir a pobreza entre mulheres, homens e jovens nas comunidades locais, assegurando que, nos municípios seleccionados, as práticas florestais e agro-florestais continuem a ser suficientes fornecendo assim um recurso básico para os meios de subsistência, e promovendo as questões de géneros e a gestão sustentável da água.

No documento diz-se que com esta iniciativa a União Europeia confirma-se como parceiro chave no apoio a Cabo Verde na redução dos efeitos das mudanças climáticas.

Em 2015, a UE tinha contribuído com 1,250 Milhões de Euros para apoiar o país a lidar com a emergência de seca e em 2017 disponibilizou 7 milhões de Euros através do apoio orçamental extraordinário, para lidar com os efeitos das fortes chuvas torrenciais na Ilha de Santo Antão.

A cerimónia de assinatura do contrato referente ao projecto está aprazada para às 10:30, pelo embaixador da EU, José Manuel Pinto Teixeira, em conjunto com o representante da FAO em Cabo Verde, Rémi Nono Womdim, na presença do Ministro da Agricultura e do Ambiente, Gilberto Silva.

Inforpress

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Notícias Relacionadas

Classificados