Home » Brava » 8 de Maio na Brava: Cruz Vermelha celebra Dia Mundial com voluntariado como bandeira

8 de Maio na Brava: Cruz Vermelha celebra Dia Mundial com voluntariado como bandeira

As celebrações do Dia Mundial da Cruz Vermelha no Conselho Local da Brava, começaram, a 1 de Maio, com uma Assembleia com todos os Voluntarios activos, que contou com a presença de mais de 40 participantes.

A presidente do Conselho Local desafia os bravenses a empenharem-se na materialização dos princípios da Cruz Vermelha, com destaque para o voluntariado.

Edith Silva que falava ao  A NAÇÃO, no marco das celebrações do Dia 8 de Maio, Dia Mundal da Cruz Vermelha – que se assinala esta segunda-feira -, sustentou que “todos devemo-nos unir à volta desta nossa grande Organização”, fazendo dos seus principios “a nossa meta” e fim da jornada.

“O voluntariado deve ser a nossa bandeira, tendo em conta que os mais carentes e necessitados da nossa sociedade precisam, em cada dia que passa, de mais amor, compreensão, carinho e apoio, sem esperar nada em troca e fazendo com que todos se sintam útil, integrados e felizes na nossa sociedade”, afirma Edith Silva, acrescentando que “todo devemos estar, também, atentos a tudo o que pode acontecer e nos afligir”, sabendo “sempre, que “podemos contar com a pronta e feliz intervenção da Cruz Vermelha de Cabo Verde”.

As celebrações do Dia Mundial da Cruz Vermelha no Conselho Local da Brava, começaram, a 1 de Maio, com uma Assembleia com todos os Voluntarios activos, que contou com a presença de mais de 40 participantes.

Esta segunda-feira, 8,  o dia começou com uma alvorada, logoa às cinco horas da manhã.

“Após concentração na Praça Eugénio Tavares, seguida de  uma passeata,  ao som de tambores, pelas principais artérias da Cidade, por se tratar de um dia normal de trabalho”, explica a presidente do Conselho Local da Cruz Vermelha.

O Centro das actividades aconteceramno sábado, 6, com uma campanha de limpeza no Cemitério da Cidade, que contou com a participação de mais de 50 voluntários. “Durante quatro horas, limparam uma boa parte do Cemitério, culminando com um almoço-convívio, na Sede do Conselho Local, em Nova Sintra”, disse Silva, ao A NAÇÃO.

Como é de “pequeno que se torce o pepino”, os alunos das escolas do Ensino Básico Integrado da Furna, Nossa Senhora do Monte e “Sena Barcelos”, também foram contemplados.

“A finalidade é garantir a continuidade do trabalho feito, fazendo com que os alunos tenham conhecimento exacto desta Organização, conhecendo os seus princípios, seu Mentor, sua criação e seus objectivos “, destaca Edith Silva, notando que, a par disso, pretendem “despertar nos alunos o gosto de como é bom ser-se Voluntário da Cruz Vermelha e dos benefícios  que a mesma tem dado na construção” de Cabo Verde.

A Cruz Vermelha da Brava mantém um Centro de Dia da Terceira Idade, na Cidade de Nova Sintra.

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade