Home » Actualidades » Ribeira Grande Santo Antão:“Fiscalização do grogue deve ser concertada entre autarquia e IGAE” – Orlando Delgado

Ribeira Grande Santo Antão:“Fiscalização do grogue deve ser concertada entre autarquia e IGAE” – Orlando Delgado

O presidente da Câmara Municipal de Ribeira Grande de Santo Antão, Orlando Delgado, defendeu na manhã desta segunda-feira (27) que a fiscalização da produção e comercialzação do grogue deverá ser feita em concertação com a Inspeção Geral das Actividades Económicas (IGAE).

Durante um encontro entre Orlando Delgado e uma equipa liderada pelo ministro da economia, José Gonçalves, na Câmara Municipal de Ribeira Grande, o autarca lançou um apelo ao ministro, no sentido de efectivar esforços para que a fiscalização seja assumida em concertação pela IGAE e a autarquia.

O pedido acontece numa altura em que os próprios produtores de aguardente sentem que a lei que rege a sua produção e comercialização, peca pela falta de fiscalização. Esta opinião é partilhada pelo ministro, que acrescenta ainda lacunas no seu licenciamento e formação.

José Gonçalves deixou a entender que o executivo irá trabalhar para responder a essa demanda, apesar de não ser uma medida prioritária da orientação do governo.

Além da questão da fiscalização da produção grogue, o edil, Orlando Delgado, apontou uma série de desideratos do seu município, nomeadamente o desemprego, os custos da manutenção dos caminhos vicinais, gestão das infra-estruturas e a iluminação pública, com enfoque nesta última.

Apesar de reconhecer que a central única de Santo Anão está de boa saúde, Orlando Delgado, afirmou que há uma certa “insatisfação”, quando a ambição da ilha passa por constituir um destino turístico. Convém destacar que 25% da população deste município se encontra em zonas mais urbanas, contrapondo com os 75% nas zonas mais rurais, onde odéfice na iluminação pública é bem maior.

Um membro do Conselho de Administração da Electra, presente no encontro, revelou dados que apontam que 20% dos cerca de quatro mil pontos de luz nessa região estão apagados. A Electra, segundo o responsável, pretende recuperar e reutilizar candeeiros nessas áreas. “A previsão é de aumentar com mais 500 pontos de luz”, mas convém entretanto que as autarquias da ilha estabeleçam as suas prioridades.

Durante o dia, o ministro da economia, reuniu-se ainda com operadores económicos dos municípios de Ribeira Grande e Paúl. Aqui pôde-se constatar que os constrangimentos enfrentados, são praticamente os mesmos que os do Porto Novo, evidenciados em anteriores reuniões com o ministro.

JF

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Classificados