Home » Actualidades » China intensifica empréstimo a Cabo Verde para a governação electrónica

China intensifica empréstimo a Cabo Verde para a governação electrónica

Destinado à realização da segunda fase da Governação Eletrónica (E-GOV II), o projecto passa ainda pela instalação da rede local em escolas, instituições públicas e hospitais

Os governos da China e de Cabo Verde assinaram hoje a concessão de um empréstimo no valor de 84,5 milhões de yuans/RMB para financiar a construção de um Centro de Formação das Tecnologias de Informação e Comunicação.

Destinado à realização da segunda fase da Governação Eletrónica (E-GOV II), o projecto passa ainda pela instalação da rede local em escolas, instituições públicas e hospitais, que ainda não estão cobertas, reabilitação das redes existentes e extensão, cobertura do WIFI nas mesmas instalações de 18 quilómetros de fibra óptica, novos equipamentos e sistemas de conferência vídeo em todas as ilhas.

O director Nacional dos Assuntos Políticos e de Cooperação de Cabo Verde, Manuel Ney Cardoso, esclareceu que o financiamento da segunda fase vai ser feita em duas modalidades, dos quais 13 milhões de dólares USA (84,5 milhões de yuans/RMB) sob forma de empréstimo concessional e cerca de 2 milhões de USD (13 milhões de yuans/RMB) em donativos, num total de 15 milhões de dólares USA.

A primeira fase do projecto de Governação Electrónica, explicou, foi desenvolvida em parceria com a China, tendo considerado que a sua implementação foi “bem concedida”, e contribuiu para a melhoria da eficiência e eficácia da Administração Pública.

O documento foi rubricado no Palácio das Comunidades, na Cidade da Praia, com Ney Cardoso a afirmar que se trata de mais um passo no aprofundamento das relações de cooperação e no aproveitamento do “enorme potencial” existente entre os dois países.

No acto da assinatura, o encarregado dos Negócios Estrangeiros da Embaixada da China em Cabo Verde, Wang, destacou o resultado positivo da primeira fase da concessão do empréstimo da Governação Eletrónica e considerou “de muito útil” para o país a segunda fase.

Enalteceu, ainda, a amizade e a história entre os dois países, ressalvando que nestes últimos anos a cooperação económica e técnica tem vindo a avançar “muito rápido”.

Inforpress

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Notícias Relacionadas

Classificados