Home » Opinião » Negócio de Verão, negócio sustentável!

Negócio de Verão, negócio sustentável!

Estamos no Verão. Para muitos, tempo de férias, de relax, de recarregar baterias. Para outros, de trabalho e de aproveitar para ganhar algum dinheiro. Sim, o Verão pode ser, também, sinónimo de lucrar.

Natacha Magalhães

Estamos no Verão. Para muitos, tempo de férias, de relax, de recarregar baterias. Para outros, de trabalho e de aproveitar para ganhar algum dinheiro. Sim, o Verão pode ser, também, sinónimo de lucrar. De iniciar um projecto e com ele facturar. Muitas pessoas começam a pensar dessa forma. Basta ver a proliferação de alguns tipos de negócios sazonais de Verão, como é o caso das colónias de férias. Nessa altura, crescem as ofertas, ainda que, na maior parte das vezes, o que se oferece peca pela falta de originalidade e inovação.

Na verdade, existem umas dezenas de negócios para ganhar dinheiro no Verão. Em tempos de crise e com o desemprego a atingir centenas de pessoas, particularmente jovens, estes deverão saber encontrar o negócio certo e fazê-lo prosperar o ano todo. O que pode ser um mero projecto de Verão, pode transformar-se num negócio duradoiro e sustentável, com garantias de empregabilidade a outras pessoas.

Mas que negócio iniciar? O que poderá ser rentável nas férias e sustentável o ano todo? Antes de mais, para quem quer iniciar um negócio de férias, terá que preparar-se com alguma antecedência. Idealizar e fazer alguma poupança, que permite os gastos necessários à execução da actividade. Depois, vem a planificação. Nada surte efeito sem a devida organização.

Vem-me a cabeça um negócio que pode ser iniciado no Verão, mas continuado e com alguma garantia de sustentabilidade. Há dias, falava com a minha mãe sobre uma ideia de negócio próprio. Ela perguntou-me: “Porque não crias um negócio para a terceira idade?”  Ora, nem mais! Eis um negócio de Verão, que, bem planificado, tem chances de dar certo.

Cabo-verdianos de 65 anos representam, hoje, 6 por cento (%) da população, segundo dados do INE (Instituto Nacional de Estatística). A juntar a esse número, estão os outros que integram os 27%, com idade compreendida entre os 35 e 64 anos. Essa proporção vai aumentar daqui a alguns anos, pois, a taxa de natalidade é cada vez menor. O crescimento da população idosa traz algumas oportunidades, entre elas, a oferta de serviços de lazer, praticamente inexistentes no País. Comece pelo mais simples. Organize umas excursões. Há muitos idosos desejosos de saírem de casa e conhecerem outras paragens e conviver. Não tem meios? Procure. Alugue uma carrinha (mini-autocarro), arranje um motorista de qualidade e invista na publicidade para angariar clientes. Depois, vai expandindo o negócio. Faça um plano de negócios e um estudo de viabilidade e… peça financiamento.

Hoje são excursões. Amanhã poderá ser um centro de lazer para idosos, com um leque de serviços que os ajudem a ocuparem o tempo livre, e, de certa forma, combaterem um pouco a solidão. Mãos à obra!

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade