Home » Actualidades » BCV tem acompanhado e influenciado positivamente o desenvolvimento de Cabo Verde – governador

BCV tem acompanhado e influenciado positivamente o desenvolvimento de Cabo Verde – governador

O Governador do Banco de Cabo Verde (BCV), João Serra, garantiu esta tarde que o BCV tem acompanhado e influenciado positivamente o desenvolvimento de Cabo Verde nestes 40 da sua existência

O Governador do Banco de Cabo Verde (BCV), João Serra, garantiu esta tarde que o BCV tem acompanhado e influenciado positivamente o desenvolvimento de Cabo Verde nestes 40 da sua existência e com sucesso amplamente reconhecido.

João Serra, que falava hoje na Cidade da Praia na cerimónia de lançamento das novas notas de 500 e 5000 escudos e do livro “História da Moeda em Cabo Verde – Do início do povoamento à actualidade” do professor universitário João Estevão, lembrou que numa altura em que Cabo Verde celebra 40 anos como país independente, o BCV prepara para assinalar também os 40 anos da sua criação, sob o lema “BCV: 40 anos Comprometido com o Desenvolvimento”.

O desenvolvimento de Cabo Verde, informou, deve-se também, em boa medida, ao forte desempenho que a instituição que preside tem tido nestes 40 anos da sua existência, garantindo o valor da moeda nacional, a estabilidade e o desenvolvimento do sistema financeiro, bem como desenvolvendo e fazendo funcionar o sistema de pagamentos.

“Tendo como atribuição principal a manutenção da estabilidade dos preços, os objectivos de política monetária do BCV têm-se orientado, nos últimos 15 anos, para a defesa da paridade fixa do escudo cabo-verdiano em relação ao euro, garantindo a estabilidade cambial, factor essencial ao desenvolvimento das trocas comerciais e ao aumento do investimento externo”, defendeu.

Para João Serra, 40 anos para BCV tem um significado “muito especial”, visto que são quatro décadas de “crescimento e resultados extraordinários”, que só podem “orgulhar” todos aqueles que deram e continuam a dar a sua contribuição para o bom funcionamento do Banco Central, enquanto uma instituição fundamental para o desempenho da economia, do desenvolvimento do país e a melhoria de nível de bem-estar dos cabo-verdianos.

“Trata-se de uma data marcada na história da nossa instituição, razão pela qual pretendemos comemora-la, de uma forma especial, com a realização de varias importantes actividades”, acrescentou.

Para além da emissão de duas novas notas de 500 e 5000 escudos, que homenagearam o antigo Presidente da Republica, Aristides Pereira, e o poeta Jorge Barbosa e do lançamento do livro do professor João Estevão intitulado “História da Moeda em Cabo Verde – Do início do povoamento à actualidade”, também a BCV vai realizar, no dia 22 de Setembro, uma conferência internacional intitulada “Novas abordagens da Regulação e da Supervisão na Mitigação de Riscos”.

De acordo com BCV, a conferência internacional vai contar com a participação de instituições financeiras, autoridades nacionais e altos dignitários dos Bancos Centrais dos países de língua portuguesa, bem como dos Bancos Centrais dos Estados da África Ocidental (BECEAO) e da África Central (BEAC) e vai ter como conferencista o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa

O BCV foi criado através de um diploma assinado por Aristides Pereira (homenageado com a nota de 5000 escudos), em 29 de Setembro de 1975.

Fonte: Inforpress

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade