Home » Actualidades » Maio: CRP assina contrato programa com 26 associações comunitárias

Maio: CRP assina contrato programa com 26 associações comunitárias

A Comissão Regional de Parceiros (CRP), na ilha do Maio, assinou contratos-programa com associações comunitárias de base e beneficiários.

A Comissão Regional de Parceiros (CRP), na ilha do Maio, assinou contratos-programa com associações comunitárias de base e beneficiários, no domínio da acção social e actividades geradoras de rendimento, no valor de 4500 contos (quatro mil e quinhentos contos).

Nesta Primeira fase foram beneficiadas 26 chefes de famílias do meio rural, sendo 16 mulheres e 10 homens, que doravante ganham a oportunidade que criar o seu próprio emprego, no sector da pecuária, formação profissional e reabilitação de moradias.

O presidente da Comissão Regional de Parceiros, Ildo Ribeiro disse que assinatura dos contratos com os líderes associativos e beneficiários vai permitir que vários chefes de famílias possam criar o seu próprio emprego e garantir a auto – sustentabilidade. E assim viver com mais dignidade e contribuir para o desenvolvimento da comunidade onde estão inseridos.

Por seu turno, o edil maiense, Manuel Ribeiro, considerou que assinatura destes contratos-programa demostra uma grande preocupação do Estado de Cabo Verde, na redução da pobreza mundo rural, mormente na ilha do Maio, em que mais de 50% da população reside campo.

“A nossa ambição é ver o mundo rural habitado de lazer, mas também produtivo. Portanto, a responsabilidade também deve caber, em parte, à própria sociedade civil em fazer render os contratos assinados. Ou seja, criar oportunidades de emprego para o vizinho ou servir de prova de encorajamento para eles”.

Já o primeiro-ministro, José Maria Neves, que presidiu o acto da assinatura dos contratos-programa, considerou estes instrumentos abrem um novo paradigma para a erradicação da pobreza no meio rural, através de criação de oportunidades.

“A filosofia deste novo programa é demostrar que podemos criar oportunidades para nós mesmo, ou então aproveitar as oportunidades já criadas, na comunidade onde estamos inseridos”, realçou.

Por isso, Neves exorta os cidadãos a mudarem a mentalidade e encarrar os desafios e criar o seu auto emprego, em vez de ficarem a esperar que lhe seja dado tudo de forma gratuita.

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade