Home » Actualidades » FIC 2014: governo cria comissão de emergência para garantir feira

FIC 2014: governo cria comissão de emergência para garantir feira

O Governo avançou com uma comissão “ah-doc” para gerir a Feira Internacional de Cabo Verde (FIC)/ Zona Franca S.A Comercial, responsável pela organização da maior feira económica e de investimentos do arquipélago.

O Governo avançou com uma comissão “ah-doc” para gerir a Feira Internacional de Cabo Verde (FIC)/ Zona Franca S.A Comercial, responsável pela organização da maior feira económica e de investimentos do arquipélago. Isto porque, a situação dos membros do Conselho de Administração, que se encontravam demissionários há oito meses, estava a perigar a realização da FIC e EXPOMAR 2014, ambas a acontecer já em Novembro.

Este foi um dos primeiros imbróglios a resolver que a nova ministra do Turismo, Investimento e Desenvolvimento Empresarial, Leonesa Fortes, teve de resolver, depois de denúncias vindas a público pondo em causa a gestão da FIC, por parte do seu então presidente Luís Cardoso.

O certo é que um despacho de 13 de Outubro passado, de Leonesa Fortes, a que o  A NAÇÃO teve acesso, dava conta da criação da tal Comissão Ah-doc, justificando a mesma com a “inoperância do Conselho de Administração” e “consequentemente ausência de liderança executiva da empresa” que “poderá por em risco a organização da edição de 2014 da Feira Internacional de Cabo Verde, já agendada para os dias 19 e 23 de Novembro próximos, bem como de outros eventos, já programados, e igualmente de grande importância”.

A medida parece ter surgido de “emergência” tendo em conta que na altura do despacho faltava pouco mais de um mês para a realização da FIC 2014, na Praia.

Aliás, como o primeiro-ministro José Maria Neves já manifestou várias vezes a intenção do Governo é passar a gestão da FIC para as “mãos de privados”, designadamente das Câmaras do Comércio, o despacho veio tentar por em prática essa intenção, há muito aventada.

O documento refere assim que “o governo já assumiu o princípio de gestão partilhada da empresa entre o Estado e as agremiações empresariais, nomeadamente, as Câmaras de Comércio de Barlavento e Sotavento”.

CONSTITUIÇÃO

Contudo, apesar da celeuma à volta da sua pessoa, Luís Cardoso continua a representar o Estado na Comissão Ah-doc ao lado de Vera Almeida Santos. Adriano Cruz é o nome avançado em representação da CCISB (Câmara do Comércio Indústria e Serviços de Barlavento)  e Aristides Monteiro da CCISS (Câmara do Comércio Indústria e Serviços de Sotavento).

O despacho de Leonesa Fortes diz ainda que a Comissão permanecerá em funções até à nomeação de um novo Conselho de Administração pela Assembleia–geral nos termos legais e estatutários.

A NAÇÃO sabe ainda que a ensombrar a organização das duas feiras – EXPOMAR (6 a 8 de Novembro em São Vicente) e FIC (19 a 23 de Novembro, na Praia) – estariam também questões de ordem logística devido ao transporte de material entre São Vicente e Santiago para assegurar montagem de stands e o normal funcionamento da FIC 2014 com a qualidade que se impunha.

Aliás, segundo uma fonte bem posicionada, essa era uma das preocupações de Leonesa Fortes que desde logo exortou a comissão ah-doc “a empenhar-se na realização com sucesso da FIC prevista para o dia 19” e  “a avaliar da exequibilidade da EXPOMAR, face às questões levantadas sobre os timmings para a realização de duas feiras em simultâneo”.

Aristides Monteiro, da CCISS, garantiu entretanto ao A NAÇÃO que o constrangimento apontado já está ultrapassado. “A ENAPOR já garantiu o transporte dos materiais em questão, de São Vicente para a Praia, após o término da EXPOMAR, pelo que irão ser realizadas, na mesma, as duas feiras em questão”, disse.

PartilheTweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someone

Comentário

Publicidade